Guia Portal Sorocaba.com

Solicite seu orçamento para as empresas e profissionais cadastrados no Portal Sorocaba.com

Cadastre aqui sua empresa ou negócio!


Sorocaba, 09 de Julho de 2020

CANAL PET



NOTÍCIAS

Tratado como ‘filho’, animal de estimação vive mais

Notícia publicada em 15/07/2013



Tratado como ‘filho’, animal de estimação vive mais

Guigui é uma cadela da raça maltês com nome e sobrenome: Maria Guilhermina Smallmarts. Cega há dois anos, as caminhadas na rua resumem-se hoje a andar pelo apartamento onde mora, em Ribeirão Preto.

Por recomendação do veterinário, a alimentação também é mais leve –ração light. Os cuidados a mais se devem ao fato de Guigui já ser uma senhora, com seus 16 anos.

A exemplo da maltês, é cada vez mais frequente a longevidade entre cães e gatos de estimação, tratados muitas vezes quase como filhos.

Se cães de pequeno porte viviam entre 10 e 12 anos, em média, a longevidade atualmente ultrapassa os 15 anos. Os maiores, antes com vida útil entre seis e sete anos, chegam com mais frequência aos 13, diz Mirela Tinucci Costa, docente de veterinária da Unesp (Universidade Estadual Paulista) de Jaboticabal.

Um fenômeno típico dos homens, a maior longevidade animal tem sido vista nesta década, principalmente nos últimos cinco anos.

Com os gatos, cuja idade média varia entre 15 e 18 anos, há os que chegam aos 25.

Com a expectativa de vida animal maior, passou a ser comum entre veterinários o uso de palavras como idoso, terceira idade e geriatria.

Saúde em dia:

A maior preocupação dos donos em levar o bicho ao veterinário somou-se ao avanço do diagnóstico. Um exemplo é o uso de aparelhos sofisticados para identificar doenças como o câncer e, assim, iniciar cedo o tratamento.

Aparelhos de tomografia, antes restritos aos homens, já existem há ao menos dois anos em hospitais veterinários do país, diz a docente.

Guigui, por exemplo, já passou por tomografia. “Hoje eles recebem mais a nossa atenção, mesmo com o ser humano trabalhando tanto”, diz a dona, a empresária Lília Sanches Machado, 65.

A pintcher Krika, da juíza aposentada Cristina da Silva Ramos, 64, impressiona até os veterinários por sua longevidade: tem 19 anos.

Perdeu alguns dentes e já dorme mais, mas ainda assim exibe algo valioso notado pelos pesquisadores: animais que não só vivem mais, mas com qualidade de vida.

Outro fator para a longevidade animal é a alimentação, hoje melhor, avalia o consultor científico da Sociedade Brasileira de Medicina Veterinária, Saliem Sayegh.

Até doenças típicas do humano idoso estão mais frequentes em bichos, como o mal de Alzheimer em cães.

Fonte: Jornal Floripa

Comente