Guia Portal Sorocaba.com

Solicite seu orçamento para as empresas e profissionais cadastrados no Portal Sorocaba.com

Cadastre aqui sua empresa ou negócio!


Sorocaba, 28 de Novembro de 2020

NOTÍCIAS



Sorocaba - Pipas em fios causam até 20% da falta de energia

Notícia publicada em 19/07/2011



Notícia publicada na edição de 19/07/2011 do Jornal Cruzeiro do Sul, na página 8 do caderno A

Daniela Jacinto
daniela.jacinto@jcruzeiro.com.br

Pipas na fiação elétrica são a causa de 15% a 20% da falta de energia elétrica para os sorocabanos. A informação é do engenheiro líder da CPFL Piratininga, José Roberto Paifer. Ainda conforme ele, no período de férias escolares é registrado um aumento na interrupção do fornecimento de energia na cidade. "Somente em julho do ano passado, a CPFL atendeu aproximadamente 100 ocorrências de interrupção causadas por pipas, o que corresponde a um aumento de cerca de 300% em relação aos outros meses do ano", afirma. Os bairros da periferia com maior incidência são o Jardim Nova Esperança, a Vila Romão, o Parque São Bento, o Parque das Laranjeiras, o Mineirão e o Vitória Régia.

O engenheiro da CPFL lembra que muitos dos desligamentos provocados pelas pipas poderiam ser evitados se alguns cuidados fossem adotados, como brincar somente em praças ou campos e nas áreas onde não exista fiação. "Os bairros mais atingidos por esse tipo de ocorrência são os populares, em que as crianças ainda brincam nas ruas, mas toda a cidade está sendo contemplada com parques, então existem locais adequados para fazer esse tipo de prática", orienta.

Somente o fato de uma pipa enroscar na fiação elétrica já pode gerar uma interrupção, mas o que mais provoca a falta de energia é quando ela enrosca e alguém tenta retirá-la. A aparentemente simples tentativa de retirada de uma pipa da fiação pode desligar uma residência, 100 ou 500, dependendo do ponto que essa pipa atinge. "Pode provocar a interrupção de energia no bairro todo, desligar escolas e estabelecimentos comerciais.

Além disso, a criança que tenta desenroscar a pipa é quem corre o maior risco", frisa José Roberto, acrescentando que o uso de objetos para tentar removê-la, como canos ou bambus, pode provocar acidentes de grandes proporções, até mesmo fatais. Subir em telhados ou postes para recuperar a pipa, por exemplo, também representa risco de choque. "Ao ficar preso na fiação elétrica, o brinquedo deve ser esquecido. A interrupção de energia ocorre justamente para preservar a integridade do agente causador (no caso a criança ou o adolescente), mas dependendo da situação, da forma que aquilo interferiu no sistema, isso pode gerar um acidente com risco de morte, até mesmo instantânea", esclarece o engenheiro da CPFL.

Tamanho do risco

De acordo com José Roberto, as pessoas não têm ideia do tamanho do risco que correm ao entrar em contato com a rede elétrica. "Para se ter uma noção da ordem de grandeza, a energia no topo do poste, considerada de média tensão, é mais de 100 vezes a tensão em uma tomada de 220 volts, por exemplo, gerando uma descarga elétrica de 23 mil volts, o que pode ocasionar morte instantânea", diz.

Uma importante dica é jamais utilizar qualquer tipo de linha que não seja a convencional. "Mesmo a convencional, se tiver umidade ou poeira, pode se tornar condutora de energia", explica. Outra preocupação é em relação ao papel utilizado. Aumenta o risco de acidentes se a criança usar em sua pipa o papel alumínio, ou mesmo o papel laminado, por serem condutores de energia. E para quem acredita que apenas a fiação elétrica é perigosa, em dias de chuva a própria pipa é a inimiga. "O brinquedo funciona como pararraio", complementa.

José Roberto ainda lembra sobre o uso do cerol, que é proibido por lei e que tem causado a morte de motociclistas. Com relação ao prejuízo financeiro que a brincadeira pode causar, José Roberto afirma ser difícil mensurar. "Tem a perda da energia, mas na realidade o prejuízo maior quem tem é a população, que fica sem luz. Então, vale o alerta para que a população tenha essa consciência e que entre em contato com as autoridades competentes quando observar casos de crianças soltando pipas próximo à fiação. Peço para que a população ajude a fazer esse monitoramento", diz.

Ainda conforme ele, a CPFL Piratininga tem investido na modernização das redes nos bairros, com instalação de separadores (equipamentos que mantêm os condutores fixos, evitando que um toque acidentalmente no outro e provoque curto-circuito) e a substituição da rede nua (que não possui isolamento) por uma rede isolada. Mesmo nesses casos, ressalta, a pipa pode gerar dano. "O cerol chega a cortar um condutor, então mesmo se toda a rede fosse isolada, os cuidados continuam sendo os mesmos porque o sistema nosso é muito complexo. Por isso faço questão de reforçar: melhor perder a pipa do que a vida."

Interessados em denunciar casos de crianças que estão soltando pipas próximo à fiação elétrica ou fazendo o uso de cerol, podem entrar em contato de segunda à sexta-feira, das 8h às 17h, pelos telefones 156 e 3233-0364, ou ainda o número 181, que funciona 24h, inclusive aos finais de semana e feriados.


Fonte: http://portal.cruzeirodosul.inf.br/acessarmateria.jsf?id=315655


Comente

Cadastre Sua Empresa Gratuitamente no Guia Comercial
Divulgue Seu Evento


Notícias


Eventos

Dia: 28/11/2020

Nenhum evento cadastrado neste dia.


Dia: 29/11/2020

Nenhum evento cadastrado neste dia.


Dia: 30/11/2020

Nenhum evento cadastrado neste dia.


Dia: 01/12/2020

Nenhum evento cadastrado neste dia.


Dia: 02/12/2020

Nenhum evento cadastrado neste dia.


Dia: 03/12/2020

Nenhum evento cadastrado neste dia.


Dia: 04/12/2020

Nenhum evento cadastrado neste dia.


Ouça ao vivo!

Ouça Ipanema FM Ouça 89 a Rádio Rock
Ouça Antena 1 Ouça Rádio Fox Rock