Guia Portal Sorocaba.com

Solicite seu orçamento para as empresas e profissionais cadastrados no Portal Sorocaba.com

Cadastre aqui sua empresa ou negócio!


Sorocaba, 21 de Outubro de 2021

NOTÍCIAS


Sorocaba - Começa a transferência de famílias para o novo residencial

Notícia publicada em 22/05/2012



Mudança de contemplados continuará em etapas até a próxima quinta-feira

Notícia publicada na edição de 22/05/2012 do Jornal Cruzeiro do Sul, na página 8 do caderno A - o conteúdo da edição impressa na internet é atualizado diariamente após as 12h.

Samira Galli
samira.galli@jcruzeiro.com.br

As primeiras 53 das 193 famílias do Jardim Santo André 2 foram transferidas ontem para o Residencial Altos do Ipanema. A transferência continuará até quinta-feira. Ontem pela manhã, o processo foi acompanhado por autoridades da Defesa Civil, Guarda Civil Municipal, Polícia Militar e Secretaria da Cidadania. Apesar do clima de insegurança e até revolta por parte dos moradores, não houve conflitos. "Tenho certeza de que eles vão para um lugar melhor", comentou a secretária municipal de Cidadania, Mazé Lima.

A situação criou incertezas entre as famílias que estão sendo desalojadas. "A Prefeitura ameaça dizendo que, se a gente não for rápido, não terá mais prioridade para adquirir o apartamento", afirmou Antero Bispo dos Santos, de 52 anos, um dos primeiros moradores da área. Mazé Lima explicou que esta é uma determinação da Caixa, no programa "Minha Casa, Minha Vida", em estabelecer um período máximo para que os novos proprietários tomem posse das unidades do novo conjunto habitacional, sob pena de que as mesmas sejam repassadas aos suplentes da fila de espera pelo benefício. O prazo é de 30 dias, mas isso está sendo negociado entre a Secid e a Caixa, informou a Prefeitura em nota.

O estoquista Roberto Silva Junior, 38, e a esposa Edna Morato da Silva, 32, alegam que a casa está quitada, mas não vão poder lutar pelos seus direitos como gostariam por causa do que chamam de "pressão psicológica". "A gente fica entre a cruz e a espada. Não era para nós mudarmos, porque o processo ainda está sendo revisto, mas estamos indo, por medo", destacou Roberto, que afirma que é um dos 53 casos que tiveram um mandado de segurança para reintegração de posse suspenso, por apresentarem documentos que comprovam a quitação dos pagamentos pela compra dos imóveis. A medida, de acordo com a Defensoria Pública, vale até que a Justiça apresente uma decisão final sobre o caso. "A gente é tratado como invasor, mas não somos. Nós compramos de terceiros, pagamos R$ 30 mil na casa e nem sabíamos que estava nessa situação", ressaltou Edna.

Os moradores estão preocupados também com o destino escolar das mais de 600 crianças que moram no bairro, de acordo com um levantamento dos próprios moradores. "Como vou fazer com a escola das crianças? Ninguém veio esclarecer nada para a gente", afirmou a dona de casa Leuda da Silva Barbosa, 40, mãe de quatro filhos. A Prefeitura informou que as transferências escolares devem sair até o mês de julho, enquanto isso, irá disponibilizar ônibus ou passagem para os estudantes.

Já para o comerciante José Bernardino da Silva, 43, a situação é um pouco mais complicada. Há 15 anos morando no bairro, ele montou um estabelecimento em frente à sua casa, para se manter. Apesar de deixar a casa ontem, ele não desfez dos móveis comerciais. "É o meu único sustento. Deixei as coisas da mercearia e vou vir aqui trabalhar até quando der. Depois, não sei o que vou fazer da vida", lamentou.

A insegurança é ainda maior nas 127 famílias que ainda continuarão no local, à espera de remanejamento para outro condomínio residencial. Os moradores estavam com muitas dúvidas e reclamavam da falta de organização e comunicação da Prefeitura. A dona de casa Helena Lopes Ribeiro, 37, estava receosa com o andamento do processo. "Tenho medo que venham com a máquina e derrube tudo", afirma. A secretária explicou que as próxima etapa, que fará a transferências das demais famílias só dependem de uma questão burocrática da Caixa e devem acontecer a partir de agosto. Os representantes dos moradores afirmam que vão cobrar da administração municipal um recadastramento das famílias que ainda permanecerão no local.

O caso

O impasse em relação à propriedade dos terrenos do Jardim Santo André 2 se arrasta há anos. São 320 residências numa área de 120 mil metros quadrados. Há mais de 15 anos, os terrenos foram invadidos e, posteriormente, num acordo entre a empresa Ramires Diesel - proprietária da área - e os residentes, estes passaram a pagar pelos lotes, por meio de uma cooperativa de moradores. Os problemas começaram após brigas e desentendimentos, que fizeram com que parte dos residentes parasse de quitar as parcelas. A empresa conseguiu, na Justiça, autorização para a reintegração de posse e o processo veio sendo adiado a pedido da própria Prefeitura, para que houvesse tempo de conclusão das obras de conjuntos habitacionais que abrigarão as famílias que estão sendo retiradas do local.

Fila de espera

A Defesa Civil repassou à Caixa Econômica Federal dados referentes aoos moradores do Jardim Santo André 2 que ocupavam em áreas de risco ou em processo de reintegração de posse. O banco selecionou 195 famílias para serem beneficiadas com os apartamentos do Residencial Altos do Ipanema, na faixa de renda entre zero e três salários mínimos. Desse total, 193 concordaram em se mudar para os apartamentos. As outras famílias da mesma área de risco poderão ser contemplada com umas das 320 casas do Residencial Parque das Árvores, que deverão ser entregues pela Prefeitura a partir do mês de agosto. Se as famílias selecionadas não aceitarem os imóveis, deverão entrar em entendimento com a empresa proprietária da área.

A secretária da Cidadania, Maria José de Almeida Lima, comentou que assistentes sociais e agentes da Defesa Civil vêm orientando as famílias sobre as mudanças, oferecendo todo o apoio necessário. "Estamos, inclusive, providenciando barracão para os moradores que mantinham oficinas em casa, como confecção e técnica de refrigeração, possam continuar trabalhando", comentou a secretária em nota. Com as Jd. Santo André 2, também estão morando no Altos do Ipanema 338 famílias originárias de áreas com risco de inundações e deslizamentos do Parque São Bento II, Jardim Ipiranga, Jd. Santa Bárbara, Central Parque, Nova Esperança, Alameda Itália e aquelas atendidas pelo programa de Aluguel Social em diversos bairros da cidade.

O empreendimento conta com redes de água, esgoto e telefonia; área de lazer, com dois playgrounds, duas quadras poliesportivas, salão de festa e espaço de convivência e estacionamento. São 480 apartamentos de dois quartos, sala, cozinha, banheiro e área de serviço, com prestações mensais de R$ 50,00 (valor mínimo) com prazo de pagamento de dez anos.


Fonte: http://www.cruzeirodosul.inf.br/acessarmateria.jsf?id=389062


Comente

Cadastre Sua Empresa Gratuitamente no Guia Comercial
Divulgue Seu Evento


Notícias


Eventos

Dia: 21/10/2021

Nenhum evento cadastrado neste dia.


Dia: 22/10/2021

Nenhum evento cadastrado neste dia.


Dia: 23/10/2021

Nenhum evento cadastrado neste dia.


Dia: 24/10/2021

Nenhum evento cadastrado neste dia.


Dia: 25/10/2021

Nenhum evento cadastrado neste dia.


Dia: 26/10/2021

Nenhum evento cadastrado neste dia.


Dia: 27/10/2021

Nenhum evento cadastrado neste dia.


Ouça ao vivo!

Ouça Ipanema FM Ouça 89 a Rádio Rock
Ouça Antena 1 Ouça Rádio Fox Rock