Guia Portal Sorocaba.com

Solicite seu orçamento para as empresas e profissionais cadastrados no Portal Sorocaba.com

Cadastre aqui sua empresa ou negócio!


Sorocaba, 18 de Novembro de 2019

ARTIGOS


Trago verdades

Por: Cíntia Soares



Trago verdades

(Este texto contém palavras fortes, impróprias para imaturos.)

Eu estou morrendo! É isso mesmo! Todos estamos, pense nisto agora e a partir daí decida como quer levar estes dias que lhe restam.

Em que você quer gastar seu tempo? Como preencher? Com quem você quer se envolver? Do que você quer cuidar?

O que sente que é necessário fazer para quando este momento chegar, que pode ser amanhã, daqui 3 meses, 10 ou 20 anos talvez, sinta que vai em paz.

Então, realmente invista nisto de agora em diante.

Ainda compensa ficar tentando convencer os outros do que você pensa? Gastando tantos esforços em consertar pessoas e o mundo? Tem certeza? Você vai morrer! É imprescindível notar que impor nossa vontade nos afasta do amor e traz mais rancor e raiva.

Sempre que estiver impondo algo, é uma necessidade do ego, está tentando realizar a própria carência através dos outros, mesmo que pareça que vai auxiliar. Há um limite para auxiliar alguém e se envolver: o outro tem que solicitar. Sem o desejo alheio torna-se um inferno para todos. Experimentamos o oposto disto quando o outro quer, tudo flui tranquilamente, leve e agradável, ainda que seja diante de algo difícil, faz bem para todos quando existe comunhão de interesses. Corações ligados.

Você está satisfeito com a pessoa que está sendo? ... ela está morrendo...

Somente assim de frente com esta verdade percebemos a importância dos nossos gestos para a transformação de si mesmo, em uma pessoa melhor, no sentido de mais tranquilidade com quem já somos. Saber se proporcionar paz.

Não desperdice sua vida com aquilo que não corresponde ao seu anseio mais profundo. Tudo passa rápido demais.

Aquela noite sem dormir decorrente das frustrações, você realmente merece isto?

As lágrimas que rolam por não sentir-se ouvido e valorizado, há necessidade de se desgastar assim?

As acusações aos outros e a nós mesmos, pelas coisas que simplesmente não são como imaginávamos, trazem algum benefício?

A compreensão de que cada pessoa tem um aprendizado, uma mente que absorveu sua própria história e experiências nos faz perceber que ninguém convence ninguém de nada. Não há muito o que fazer, a não ser abrir mão desta ilusão de domínio das situações.

Cada um tem seu momento certo de despertar. Não se abre olhos a força sem ferir. Disposição é o que faz toda diferença em qualquer relação, se espontaneamente ela não existe, forçar não resolve e te torna "mandão".

Assim, se a convivência te machuca, faz mal, você pode encontrar formas de viver bem, em harmonia, enquanto há vida.

Na maioria das vezes o que mais tememos soltar, o que mais dói , pouco tem a ver com os outros de verdade, mas sim com o nosso desejo de que tudo seja da maneira como queremos, da forma que pensamos prepotentemente ser a melhor.

Quando o corpo adoecer por insistir neste mal hábito, o que é óbvio que acontecerá, não vai dar para usar a justificativa do "Ah se eu soubesse que estava me matando, teria parado com isto". Está prejudicando! É nítido! Mas às vezes nos fazemos de cegos com aquilo que adoece e assim permanecemos sem a disciplina para transformar o que é nocivo.

Neste momento que adquire a consciência da finitude, não como algo distante, mas como algo bem próximo de acontecer, inúmeros pesos são deixados de lado, sábios decidem que não há mais espaço para melindres, orgulho e egos inflados. Desperta-se para o bem da vida. Corta-se os absurdos, como por exemplo, achar que o mundo está errado, ou analisar o comportamento alheio. É como colocar os pés descalços na terra e sentir o frescor na natureza, conectar-se é o que há de mais valioso, a beleza e a graça da vida, quando não estamos tentando comandar tudo.

Surge a firmeza de viver do jeito que lhe agrada com apreciação de tudo que se apresenta. Escolhe mais as relações benéficas, sem tempo a perder com a arrogância. O problema do outro ele resolverá no tempo dele e não faz mais parte do meu papel se intrometer nisto. Posso estar junto se nós dois quisermos e auxiliar. Apenas isso.

A questão não é a morte (ainda mais quando você acredita que ela nem é o fim) mas como você está vivendo antes de ir para o caixão. É necessário reavaliar, e o que pode fazer para ter bons dias, com os recursos que tem disponível.
Assim, eu saio da paralisação, o medo deixa de dominar minhas atitudes, seja do julgamento alheio ou próprio, já que isto é uma grande bobagem e não tem o menor sentido quando em breve eu me tornar pó! Pó, é isto mesmo meu futuro.

Que diante disto, eu descubra a força vital que reside em mim para fazer a reestruturação necessária, cessando buscas superficiais que nada acrescentam na minha essência divina. Principalmente deixando aqueles com quem convivo serem o que eles têm a capacidade de ser, porque eu sei que estou indo embora. Você está indo embora a cada dia que passa.

O que falta para você gostar de verdade de você? E eu não disse se aceitar, eu disse gostar, porque nós só conseguimos aceitar aquilo que gostamos, ao invés disso, fica sempre uma sensação de contrariedade, um gosto amargo difícil de engolir.

Mova-se em direção a esta admiração por si mesmo e aí nós começamos a nos aproximar do amor-próprio. Tudo fica bem quando descobrimos a pessoa simples, bela e alegre que somos, sem utilizar artefatos para fingir ser algo que não engana ninguém e só traz desgosto.

Aí é possível celebrar a vida todo dia, ouvir mensagens de amor, gratidão, receber flores não apenas quando chegar o nosso funeral.
 

O texto publicado neste artigo é de responsabilidade do autor, e pode nao expressar a opiniao total ou parcial do Portal Sorocaba On-Line S/C Ltda sobre o assunto. Boa leitura!

Cíntia Soares

De Tudo Um Pouco e Outros Sentimentos Mais

Cíntia Soares - Psicóloga formada na Universidade Paulista e Bacharel em Direito pela Fadi. Realiza atendimentos clínicos com Adolescentes e Adultos. Trabalha com Psicoterapia Breve Familiar, Terapia para Casais e Orientação aos Pais. 

CRP: 06/85912

E-mail: cintia@sorocaba.com.br

Endereço: Clínica PsCí - Rua Recife, nº 259 - Jd. Paulistano - Sorocaba / SP

Leia mais artigos deste Colunista




Cadastre Sua Empresa Gratuitamente no Guia Comercial
Divulgue Seu Evento


Notícias


Eventos

Dia: 18/11/2019

Nenhum evento cadastrado neste dia.


Dia: 19/11/2019

Nenhum evento cadastrado neste dia.


Dia: 20/11/2019

Nenhum evento cadastrado neste dia.


Dia: 21/11/2019

Nenhum evento cadastrado neste dia.


Dia: 22/11/2019

Nenhum evento cadastrado neste dia.


Dia: 23/11/2019

Nenhum evento cadastrado neste dia.


Dia: 24/11/2019

Nenhum evento cadastrado neste dia.


Ouça ao vivo!

Ouça Ipanema FM Ouça 89 a Rádio Rock
Ouça Antena 1 Ouça Rádio Fox Rock