Guia Portal Sorocaba.com

Solicite seu orçamento para as empresas e profissionais cadastrados no Portal Sorocaba.com

Cadastre aqui sua empresa ou negócio!


Sorocaba, 10 de Dezembro de 2019

CANAL AUTOMÓVEIS



NOTÍCIAS

Empresária avalia a Picape Toyota Hilux 4x2 Flex

Notícia publicada em 12/04/2015



Empresária avalia a Picape Toyota Hilux 4x2 Flex

Uma picape ideal para o trabalho na cidade, ou ambiente semi-urbano

Nessa oportunidade o site Sorocaba.com trouxe uma picape ideal para quem trabalha dentro da cidade, ou regiões semi-urbanas. Trata-se da Hilux com motor flex e tração 4x2 (somente traseira). E para dar uma opinião sobre esse carro, convidamos uma empresária que sabe a verdadeira necessidade de um veículo com boa capacidade de carga. Luciana Pepper é dona da empresa Pepper Criativa (especializada na criação de campanhas e eventos especiais) e proprietária do Nosso Bar (um bar temático esportivo de Sorocaba). Confira a avaliação completa da picape e o depoimento de nossa convidada.

Picape Hilux SRV 4x2 Flex

No final de 2014, a Toyota fez algumas mudanças na linha de picapes médias. Visando aumentar a sua competitividade na categoria, a Toyota inclui novas versões. Entre as novidades esta a versão SRV Flexfuel com tração 4x2, da Hilux. Essa é uma picape desenhada para um cliente bastante específico. Além disso, essa nova versão é a única picape média do mercado equipada com uma transmissão automática, acabamento topo de linha e motor flexfuel.

Essa versão chega para atender um cliente diferente do tradicional. Um fato curioso é que 92% das Hilux à diesel comercializadas, trazem a tração 4x4. Apenas 8% são 4x2. Mas a situação se inverte completamente na Flexfuel. Nesse caso, 92% das Flex são 4x2. Apenas 8% saem equipadas com a tração 4x4. Então, a SRV Flex visa aquele cliente que precisa de uma picape bastante robusta, mas viaja ou trafega pouco, geralmente em grandes centros ou locais com congestionamento, e não precisam da tração 4x4. Além disso, o principal fator de decisão por essa versão é o custo-benefício, pois a picape custa pouco mais que R$ 100 mil.

O cliente desse tipo de picape é alguém que trabalha com algum tipo de comércio que exige o transporte de grandes volumes. Podem ser donos de bares, arquitetos, representantes comerciais entre outros. Esse usuário dificilmente vai para regiões de difícil acesso, onde uma tração 4x4 é necessária. E por ficar muito tempo no ambiente da cidade, o diesel também não é uma solução muito prática seja pelo barulho, pela fumaça ou dificuldade de acha-lo em postos de cidade. Existe ainda a questão do conforto ao dirigir, uma vez que o diesel deixa o veículo mais “áspero” e com excesso de vibração. Então, a solução Flex automática é muito mais interessante para quem fica sempre no ambiente urbano.

Mas tudo isso não invalida a exemplar capacidade de carga, e resistência da picape da Toyota. Ele tem 5,25m de comprimento com 3,09m de entre-eixos. Mesmo para as aventuras da cidade, como lombadas, valetas, buracos e outros obstáculos, a picape da Toyota supera essas dificuldades como se elas não existissem. O ângulo de ataque da Hilux é de 30 graus e a altura livre em relação ao solo é de 22,2cm. E o ângulo de saída é de 23 graus. Tudo isso para transportar uma carga máxima de até 730 kg.

Motor e câmbio

A picape da Toyota vem equipada com um motor 4 cilindros VVT-i Flex de 2,7 litros – 16 v. Sua potência máxima é de 163 cavalos no etanol (@5.000 rpm) e 158 cavalos na gasolina (@5.000 rpm). O torque máximo é sempre de 25 kgfm @ 3.800 rpm. Na versão topo de linha SRV 4x2, esse motor esta associado a um câmbio automático de quatro marchas.

Essa configuração não beneficia tanto o uso de etanol. Na estrada, a melhor média é de 8 km/l. Na cidade, o consumo cai para 4,5 km/l. Já na gasolina a coisa melhora consideravelmente. Na estrada a média sobre para quase 11 km/l. Enquanto que na cidade, a média é de 7 km/l. Mas como o tanque comporta até 80 litros, a autonomia não é um problema.

Ainda que a tração seja apenas nas rodas traseiras, essa Hilux vem equipada com diferencial traseiro com sistema de escorregamento limitado (LSD). Isso garante que quando uma das rodas comece a perder tração, o diferencial transfira o torque para a outra roda, automaticamente. Além disso, a versão SRV incorpora também freios com ABS e o VSC (controle de estabilidade eletrônico). O VSC ajuda a corrigir a trajetória de picape, em situações onde as rodas começam a perder contato com o solo. Dessa forma o sistema atua através dos freios especificamente na roda que esta girando em falso. E também pode atuar no motor, limitando a força de tração nas rodas, para garantir a dirigibilidade.

Suspensão

A Hilux apresenta um conjunto de suspensão realmente resistente e parrudo. A suspensão é dura e pronta pra receber carga pesada na caçamba. O senão disso, é o maior desconforto para usar a picape na cidade, sem carga. Ela tende a “pular” demasiadamente em pisos irregulares.

Equipamentos

Por se tratar da versão topo de linha SRV, a picape sai muito bem equipada de fábrica. Ela traz vidros elétricos, computador de bordo, direção com assistência hidráulica e ajuste de altura e banco do motorista com regulagem elétrica. O sistema de ar-condicionado da Toyota é digital e automático de simples zona.

Outro destaque da picape é a central multimedia com tela sensível ao toque. O equipamento é bastante completo, mapas elaborados e funções adicionais, incluindo uma que ensina o motorista a dirigir de forma mais econômica. Além disso, a conectividade na Hilux é muito boa com entrada USB, SD-Card e iPod. Existem também controles do sistema de som no volante. O sistema oferece boa qualidade de áudio graças aos seis alto-falantes presentes no veículo. Essa central ainda conta com recepção de TV no sistema digital e câmera de ré integrada.

Outro recurso presente nessa versão é o acendimento automático dos faróis quando a luminosidade cai.

Preço

A versão SRV 4x2 Flex tem preço sugerido de R$ 108,2 mil. Não existem opcionais nessa picape. A garantia é de 3 anos, sem limite de quilometragem. Pesa a favor dessa picape o excelente valor de revenda, no mercado de usados.

Depoimento

Luciana Pepper é dona da empresa Pepper Criativa (especializada na criação e elaboração de campanhas e eventos especiais) e proprietária do Bar Nosso Lugar (um bar temático esportivo de Sorocaba).

Principal Destaque: Amei a versatilidade dessa picape. Trata-se de um utilitário que atende plenamente as minhas necessidades do dia a dia, tanto no bar quanto na Pepper. Tenho que transportar coisas de grande volume da Pepper e equipamentos e produtos do bar Nosso Lugar. E tudo isso sem abrir mão do conforto, inclusive para dirigir.

Pontos Positivos: Essa foi a primeira vez que dirige um carro automático, pois sou apaixonada pela sensação de trocar as marchas. Ainda sim, gostei muito da comodidade câmbio automático. Excelente para uso no trânsito pesado, com as trocas de marchas rápidas, que a gente quase nem sente. Outro ponto bem legal é a enorme oferta de porta-trecos (que pra mim é muito útil). Além disso, essa versão topo de linha traz toda tecnologia para um ótimo conforto. O painel é bem bonito, com uma iluminação bastante nítida. A oferta de controles elétricos para vidros, travas e espelhos também ajuda bastante. E o sistema de GPS é realmente completo, indicando inclusive por onde a gente já passou com um pequeno rastro. Realmente, uma picape completa.

Pontos Negativos: O único senão é que por se tratar da opção flex, o consumo de combustível é alto no etanol.

Conclusão: A picape me surpreendeu. Amei a posição para dirigir! Além disso, o acabamento é excelente. Mas o principal é que essa é uma picape realmente robusta. É uma picape que atende a necessidade do trabalho, e por ser flex, dá mais flexibilidade na utilização urbana.
 


Fonte: Jorge Augusto e fotos por Marcelo Alexandre


Veja mais fotos:

Comente