Guia Portal Sorocaba.com

Solicite seu orçamento para as empresas e profissionais cadastrados no Portal Sorocaba.com

Cadastre aqui sua empresa ou negócio!


Sorocaba, 12 de Dezembro de 2019

CANAL AUTOMÓVEIS



NOTÍCIAS

Avaliação: BMW X1 GP TOP sDrive20i ActiveFlex

Notícia publicada em 11/08/2015



Avaliação: BMW X1 GP TOP sDrive20i ActiveFlex

Uma receita especial entre a proposta da perua e do crossover

A BMW X1 já tem uma história no mercado brasileiro. Lançada em 2010, ela chegou para ocupar o espaço logo abaixo da X3. Assim, a X1 foi o primeiro crossover compacto premium do mercado brasileiro. E para dar uma opinião sobre esse modelo, convidados o casal Pessutti para dar testar a X1, e dar uma opinião sobre essa experiência. Mas antes desse teste com a X1, precisamos entender o que é a linha X, na BMW.

A linha X

Quando a X5 foi criada, a marca também inventou junto o termo SAV, que significa Sport Activity Vehicle. Ou seja, um trocadilho sobre o termo SUV (Sport Utility Vehicle) com o objetivo de dizer que o produto da BMW é mais ativo e dinâmico que o demais utilitários esportivos do mercado. E desde então, a marca foi cada vez mais para o lado “ativo” e “esportivo” com outros produtos na linha X.

Exemplos como a X3, um pouco mais compacta a que X5. E depois a X6, um tipo de X5 com traseira fast-back, enaltecendo ainda mais a esportividade. Ai, foi a vez da X1 ganhar as ruas (a mais compacta e urbana de todas) com esse toque de SAV.

A X1 (apesar do número 1 no nome) é na verdade um modelo derivado de outra família da BMW. Ela é construída sobre a plataforma da série 3. No Brasil, atualmente, só temos a série 3 na carroceria sedan. Porém, em outros mercados, existe a versão perua da série 3. E a X1 é na verdade, a versão mais “fashion” e descolada da Série 3 Touring. No mercado brasileiro, a X1 entra como a alternativa para quem quer uma série 3, porém precisa de mais espaço. E a alternativa da X3 é grande ou cara demais.

Portanto, a X1 é um produto de entrada da linha X, que tem características de uma stationwagon, porém com um toque diferente, por ser um pouco mais alta e descolada. Quando comparada com os demais crossovers ou SUVs, a X1 tornasse a alternativa para quem quer um modelo mais dinâmico e compacto. Ou seja, a X1 é um SAV diferente dos demais produtos X da BMW.

Histórico

Quando foi lançada no Brasil em 2010, a X1 chegou na versão xDrive 28i com motor 3.0 litros de 258 cv e tração integral. Logo na sequência, veio a versão sDrive 18i com motor 2.0 litros de 150 cv e tração apenas traseira. Em julho de 2012 foi a vez de chegar a versão sDrive 20i com motor 2.0 - 16V Turbo de 184 cv e tração apenas traseira. Outra pequena mudança na X1 aconteceu em Setembro de 2012, quando as argolas da lanterna (dentro do farol), passaram a ser iluminadas por LEDs brancos, em vez de lâmpada convencional, funcionando também como luzes diurnas. Recentemente, a X1 ganhou motor Flex e um câmbio automático de oito marchas (foco dessa avaliação).

Um detalhe importante é que a versão xDrive 28i já não consta mais nas listas de preços da BMW (não existe previsão para volta dessa versão, no Brasil). Assim, a versão sDrive 20i torna-se o modelo topo de linha da X1, no Brasil.

Estilo

Tirando a polêmica se a X1 se parece mais com perua ou crossover, é fato que estamos falando de um carro com proposta familiar. Porém, com o tradicional estilo clássico da marca alemã. E isso, já a diferencia dos demais concorrentes. Dentre os itens que mais chamam atenção, nota-se na parte traseira, o charme das lanternas em formato de “L”, que invadem a tampa do porta-malas. Já a dianteira remete à esportividade por conta do conjunto óptico afilado e pela tradicional grade frontal dupla.

Interior

A BMW X1 é um carro com vocação familiar, com acabamento primoroso e sóbrio. Pra começar ela tem 2,76 metros no entre-eixos e 4,45 m de comprimento. Em relação ao solo, a distância é de 19,6 cm. Não é um SUV, mas certamente mais alto que qualquer perua derivada de sedan. O encosto do banco traseiro é tripartido na proporção 40:20:40 e tem ângulo do encosto ajustável em até 31 graus. Isso melhora muito o conforto dos passageiros de trás.

O porta-malas conta com 420 litros, o que permite levar bagagem de cinco pessoas numa viagem curta. Com os bancos traseiros rebatidos, o espaço sobe para 1.350 litros. De quebra, o porta-malas conta com elásticos e compartimentos laterais que ajudam a acomodar pequenos volumes. Tem ainda um compartimento sob o assoalho. Esse seria o espaço para o pneu de estepe, que a X1 não tem. Ela usa pneus de tecnologia Runflat.

Existe boa oferta de porta-objetos no interior do carro. Soma-se um porta-copo com suporte no console central, que fica meio deslocado. Entretanto, ele pode ser retirado e guardado de maneira muito prática, num espaço especialmente desenhado sob o descansa-braço, entre os bancos dianteiros.

Motor

Essa versão da X1 vem equipada com motor 2.0 litros – 16 válvulas com 4 cilindros, turbo e Felx. Sua potência máxima chega a 184 cavalos (a 5.000 rpm). O detalhe interessante é o torque máximo é de 27,5 kgfm (entre 1.250 e 4.500 rpm), o que deixa o modelo com força próxima de um motor V6. O câmbio automático de oito marchas garante a eficiência do conjunto motriz. Com tantas marchas, sua atuação é suave e precisa. As primeiras marchas são curtas para assegurar agilidade na resposta, e as duas últimas bem longas para reduzir o consumo de combustível.

Tecnologia TwinPower Turbo

Diferente dos outros veículos turbinados, o sistema da BMW é um mais eficiente em função do seu projeto. Num carro turbo normal, toda a pressão dos gases na exaustão dos cilindros, são direcionados para um único duto, que faz girar a turbina de sobre-alimentação. No sistema TwinPower Turbo da BMW, essa pressão é dividida em dois dutos (dois cilindros para cada duto). Assim, a pressão é mais uniforme e constante na turbina, fazendo o sistema render mais. Ou seja, pressão mais uniforme e eficiente, com menor consumo de combustível.

Desempenho

Mesmo pesando 1.585 kg, a X1 é muito ágil. Ela precisa de apenas 7,7 segundos para chegar aos 100 km/h, mas é preciso usar gasolina Podium para conseguir essa marca. Com gasolina comum, o tempo é um pouco maior. A velocidade máxima da X1 sDrive 20i é de 205 km/h.

Para um produto do segmento premium o consumo de combustível pode ser considerado bom, mesmo com gasolina comum. Na cidade, a média fica em 8,5 km/l. Já na estrada, a melhor marca é de 14 km/l, usando o modo Eco PRO(explicado mais adiante). O tanque de combustível com 63 litros assegura uma autonomia excelente.

Modo Eco PRO

A X1 ainda oferece o modo Eco Pro. Basta apertar um botão no console para ativar o recurso. Com ele ativado, o funcionamento de alguns componentes muda. O câmbio passa a trabalhar com uso de marchas mais altas e rotações menores. O acelerador fica menos sensível e até o ar-condicionado passa a operar em modo reduzido. Tudo para economizar mais combustível. O resultado é visível no computador de bordo. Na cidade, um consumo médio de 8 km/l, sobe para mais de 9 km/l com o modo Eco PRO. O display principal ainda mostra quantos quilômetros a mais será possível percorrer, além da autonomia estimada, com à ação do recurso. Segundo a BMW, a redução no consumo pode chegar até 20%, desde que o motorista siga as dicas informados pelo carro, no modo Eco PRO.

Start-Stop

Outro interessante recurso é o Start-Stop (que desliga o motor quando o carro para no trânsito, e o liga automaticamente quando o motorista tira o pedal do freio). Especialmente útil no trânsito, ajuda a economizar combustível e reduzir as emissões do carro. Porém, o motorista precisa se acostumar com isso. Em algumas situações, o sistema pode incomodar. Nesses casos, existe um botão no console para cancelar a função. Detalhe importante que o Start-Stop não desliga o motor toda vez que o carro para. Se as paradas forem muito frequentes, o sistema deixa de atuar para preservar a bateria do carro. Ele também não funciona quando o veículo esta abastecido com etanol.

Dirigibilidade

O X1 sDrive20i é um modelo interessante de se guiar. A dirigibilidade é digna de carro com DNA esportivo, reforçada pela suspensão firme. No trânsito urbano, o motor turbo e o câmbio de 8 marchas garantem muito agilidade. E na estrada, não é diferente.

O fato da X1 ser menor que o outros SUVs e Crossovers lhe garante comportamento diferenciado em curvas. A suspensão firme (às vezes até demais para o asfalto da cidade) garante total estabilidade. A altura do veículo também colabora, pois é de apenas 1,54 m.

A tração é no eixo traseiro, o que torna tudo mais divertido. Em curvas realmente acentuadas, dá para sentir a parte de trás do veículo mais arisca. Porém, os vários sistemas eletrônicos para controle de estabilidade e tração garantem uma trajetória segura, nas condições mais adversas.

A posição ao volante é excelente, graças aos ajustes elétricos do banco do motorista, bem como a regulagem manual de altura e profundidade da coluna de direção. A direção, com assistência elétrica, confere respostas diretas e precisas. Mas o volante não é muito leve.

Porém, o desempenho da X1 não é bom fora do asfalto. Os pneus de perfil muito baixo (225/45R18) complicam a mobilidade do veículo em estradas acidentadas. E a falta da tração integral também é outro problema. De modo que, a característica de SAV apontada pela BMW, serve mesmo só para superar lombadas e valetas com mais facilidade, dentro dos limites urbanos.

Equipamentos

Certamente, estamos falando de um modelo completo no quesito equipamentos. Essa versão conta com completo computador de bordo (que pode ser visto tanto no mostrador de instrumentos, como no display central) volante multifuncional com controles do som, rádio CD-Player compatível com MP3, total conectividade Bluetooth (viva-voz e música estéreo sem fio), entradas USB e auxiliar tipo P2, ar-condicionado digital e automático de dupla zona, espelho retrovisor interno eletrocrômico, farol Xenon duplo e sistema de partida por botão.

Destaque para o iDrive. Trata-se de uma interface que controla diversas funções do carro, através de um botão multifunções montado no X1console central do carro. Com movimentos semelhantes a um joystick, além da função de girar e pressionar, o motorista consegue controlar o sistema de navegação, funções de áudio, do viva-voz, da agenda e configuração de diversas características do carro. A tela de 8 polegadas no centro do carro, exibe todas as opções selecionadas com grande nitidez e cores brilhantes.

O atual sistema de navegação usa a tela de alta resolução, para oferecer visão detalhada dos mapas e instruções. Na representação 3D de mapas de estrada ou ruas, os monumentos de interesse turístico aparecem representação fotorrealista. Além disso, o uso do zoom é bastante prático com o botão giratório do iDrive. O único senão é a forma pouco prática para inserir um destino. Como não existe o touch-screen, as letras precisam ser localizadas pelo controle giratório, o que dá certo trabalho. A X1 sDrive20i também inclui o Cruise Control (controle de cruzeiro automático) e paddle-shift no volante, para troca de marcha manual.

Segurança

No quesito segurança, a X1 sDrive 20i traz freios com ABS (sistema antitravamento), controle de tração e estabilidade, faróis auxiliares dianteiros, luzes diurnas em LEDs brancos, sensor de estacionamento traseiro, sistema Isofix para a fixação de assentos infantis, seis air-bags (dianteiro, lateral e cortina) e indicador do estado do pneu (perda de pressão). Vale destacar que a X1 não tem estepe. Seus pneus usam tecnologia “Run Flat”. Ou seja, podem rodar mesmo furados, com uma velocidade máxima de 100 km/h, uma distância de até 250 km (conforme informado no site da BMW). Ainda sim, para um carro dessa categoria, faltou a câmera de ré.

Preço e mercado

A versão de entrada da X1 parte de R$ 119,9 mil. Mas a versão avaliada aqui é Top, com todos os opcionais, com preço sugerido de R$ 139,9 mil.

Segundo a BMW, os principais concorrentes da X1 são o Audi Q3 e a Mercedes-Benz GLA. Entre os concorrentes diretos, a X1 é sem sombra de dúvida o modelo mais esportivo e divertido para se dirigir, principalmente na estrada. A garantia da X1 é de 2 anos.

Já foi anunciada na Europa, uma nova geração da BMW X1. Entretanto, como o modelo X1 acabou de ser nacionalizado (fabricado em Santa Catarina), a atual carroceria permanecerá no mercado brasileiro até o ano que vem, pelo menos.

Depoimento dos convidados

Nessa oportunidade, o casal Pessutti participou do test-drive da X1. Afinal, esse modelo da BMW faz muito sucesso entre as mulheres por sua versatilidade, bem como com os homens pela sua esportividade. Então, convidamos um casal que realmente entende de carros. Afinal, eles são proprietários do portal Sorocaba Motors, especializado no comércio de veículos online.

Alexandre Pessutti

Principal Destaque: Em minha opinião, o que mais gostei na BMW X1, é o eficiente conjunto composto pelo potente motor turbo e o câmbio automático de oito marchas. Isso deixa o carro ágil, graças às trocas de marchas rápidas apoiadas pelo excelente torque baixo do motor turbo. A X1 é ideal para as mais difíceis ultrapassagens.

Pontos positivos: A X1 tem uma série de qualidades. É um veículo realmente estável, ainda que tenha uma proposta familiar. Sua dirigibilidade também é muito gostosa, seja no dia a dia ou na estrada. Além disso, trata-se de um veículo muito completo e com a esportividade embutida em seu DNA. A começar pela possibilidade de trocas de marcha através das alavancas no volante, a central multimídia incrivelmente completa com um sistema de som de alta fidelidade e acabamento de excelente qualidade. A boa tecnologia também se faz presente pelo sistema Start-Stop do motor, que ajuda a economizar combustível em paradas curtas.

Pontos negativos: Particularmente, acho que o painel da X1 poderia ser elaborado, com mais instrumentação. Também, o foto do carro ser flex, o aproveitamento do motor não é o ideal, como num veículo à gasolina.

Conclusão: Certamente, trata-se de um veículo muito interessante. A BMW X1 reúne num mesmo carro a versatilidade de um carro familiar e o desempenho de um típico esportivo.

Patrícia Pessutti

Principal Destaque: O que mais gostei foi o desenho do veículo. Ela é o suficientemente grande por dentro, atendendo uma proposta familiar, ao mesmo tempo que parece um carro pequeno por fora, por ser muito fácil de ser dirigido, como também de estacionar.

Pontos positivos: Certamente a X1 é muito bonita por fora. Tem um estilo bastante próprio, se destacando das concorrentes diretas. Também é gostosa de ser dirigida, graças a ampla visibilidade. Também adorei o teto-solar panorâmico.

Pontos negativos: Acho que o visual interno poderia ser mais elaborado, considerando a categoria e o preço da X1.

Conclusão: Certamente gostei muito da BMW X1. Ela é bonita e agradável ao para dirigir, tanto na estrada, como na cidade.
 


Fonte: Jorge Augusto e fotos por Marcelo Alexandre


Veja mais fotos:

Comente